Pular para o conteúdo principal

Dia do Psicopedagogo, 12 de novembro!

UM DIA MUITO ESPECIAL EM MINHA VIDA
Como posso deixar passar uma data tão importante, pelo simples fato de trabalhar por prazer, de poder ajudar o próximo, de ver uma criança aprender, uma Mãe tão feliz com resultados obtidos através de um trabalho conjunto.....
Tudo começou quando li uma reportagem num jornal de São Paulo e fiquei interessada, nesse meio tempo passaram-se 7 anos(minha filha pequena, trabalho, condições finaceiras, etc) essa vontade crescia e nada de estudar............ Fiz o curso de Psicopedagogia em Mogi de 700hs, gostei tanto do curso, que simplesmente todas as notas são 10 (surpresa agradável) e só fui saber quando fui buscar o diploma. Após 6 meses do término, sonhava em exercer e acreditava nisto.
Como realizei esse Sonho?
Minha Coordenadora Pedagógica na Escola que trabalho como professora, me chamou para conversar com uma Mãe de um aluno que não sabia ler aos 15 anos de idade e conversa vai conversa vem, a Coordenadora já havia indicado uma Psicopedagoga e a Mãe quis me contratar para atender o seu filho.
Em uma semana montei o consultório(comprei sofá, materiais pedagógicos,etc) atendendo em casa no quarto da minha filha só no primeiro ano e no ano seguinte estava eu num consultório bonito e encantador, dividido com psicólogas.
Exercer a Psicopedagogia, é sempre um desafio constante, tem que realmente amar essa profissão que exige tanto de nós, estudar sempre, fazer grandes investimentos, e desvendar problemas e dificuldades e acalmar as Mães, rs. Tenho tido a cada dia muita alegria e prazer exercendo-a com muito amor e força de vontade, pois Ajudar ao Próximo Não Tem Preço!
Parabéns à todos nós Psicopedagogos.....................

Comentários

  1. Parabéns Sueli, é tão bom quando a gente descobre que nosso trabalho "por qualquer que seja" nos da prazer, realizações pessoais além de contribuir para um mundo melhor...
    Márcio Roberto Nonato

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Atividades para Coordenação Motora Fina

Rastreamento é uma técnica simples para ajudar as crianças na coordenação motora fina. A técnica trabalha as habilidades motoras finas como a coordenação olho-mão e o início escrita.

A técnica é bastante simples. Você deve dar a cada criança pelo menos três cores diferentes de lápis de cor para formas, números e letras de forma para realização da técnica de rastreamento.


Técnica rastreamento da primeira letra do nome do aluno com ajuda do pontilhado.
As crianças começam por traçar com o dedo
Em seguida, as crianças usam uma cor de lápis e traçar os contornos. Em seguida, as crianças usam a segunda cor para rastreá-lo novamente. Em seguida, eles usam a cor de terceiros para traçar os contornos mais uma vez. -Separar objetos pequenos por cores.trabalhar o movimento pinça fina com o dedo indicador e polegar
- objetos pequenos para trabalhar movimentos finos.Treinar os números e associar a quantidade.

- Trabalhar os movimentos finos como alinhavo,tecelagem (com a tela talagarça) ou uma cesta co…
Encaixe dos palitos de Picolé no pote com um furo




Alinhavo de canudinhos, miçangas ou macarrão




Jogo de Mosaico -peças pequenas de legos











Ferramentas para pintura - esponjas de formas diferentes e pincéis.
O ATO DE ESCREVER A MÃO É UM EXERCÍCIO PARA O CÉREBRO
A tecnologia está cada vez mais presente em nosso cotidiano. A maioria de nossos textos são produzidos via teclado, isso é bom ou é ruim? No Brasil já existem escolas que disponibilizam laptops aos alunos; mas, de acordo com a neurocientista Karin Harman...
Na metade do ano de 2011 alguns jornais anunciavam o fim da escrita cursiva na maioria das escolas dos EUA. Entretanto no início do ano (2012) a neurocientista Karin James Harman apresentou um projeto no sentido de conscientização de qual o papel da escrita no processo de aprendizagem.
Apesar de grande debate, Harman testemunhou a favor da inclusão da escrita cursiva nos currículos de todas as escolas públicas. Para a realização da pesquisa, as crianças escreviam cartas à mão e depois submetiam-se a uma ressonância magnética. Nestas, a atividade neural no cérebro mostrava-se mais avançada do que aquelas que digitavam no teclado. “A caligrafia envolve circuitos cerebrais diferentes …