Pular para o conteúdo principal

Curso de Formação PEI

Um dos grandes desafios dos profissionais que trabalham com aprendizagem tem sido ajudar a promover em seus mediados as habilidades para pensar e para aprender de maneira eficiente e autônoma.

Pensar de maneira clara e precisa, comunicar idéias de forma lógica e fluida, ser capaz de identificar as fontes de dificuldades de problemas, transferir conhecimentos adquiridos para diferentes áreas, estar motivado e curioso para aprender, gerar novos conhecimentos, ser um ator ativo e criativo são alguns dos objetivos contemplados neste programa.

Este curso trata-se de um aperfeiçoamento profissional ao final do qual seus participantes estarão capacitados a aplicar os instrumentos do PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) e a utilizar as técnicas da Mediação em diferentes contextos: escolar,  clínico, reabilitativo, empresarial, em contextos de formação universitária e de educação continuada.

O que é o PEI?

O PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) é um programa prático de intervenção cognitiva fundamentado na Mediação da Aprendizagem que pode ser utilizado de maneira individual ou em grupo.

O programa completo é composto de 14 instrumentos (14 conjuntos de tarefas de diversos conteúdos e modalidades, contendo 20 a 30 páginas cada). Seu crescente nível de complexidade favorece a construção sistemática e estrutural de funções cognitivas e operações mentais necessárias à aprendizagem.

O objetivo central do PEI é a produção de modificações nas estruturas cognitivas dos indivíduos, expandindo o potencial de aprendizagem, aumentando a eficiência mental e melhorando a qualidade do desempenho intelectual.

O PEI pode ser utilizado em crianças na idade escolar e em adultos de vários níveis de funcionamento. O programa está traduzido em 12 línguas e é utilizado em diversos países. O PEI foi desenvolvido pelo renomado psicólogo israelense Dr. Reuven Feuerstein.

Quem é Reuven Feurestein?

Reuven Feuerstein nasceu em Botosan (Romênia) em 1921. Em 1944 imigrou para Israel, onde se dedicou à educação dos adolescentes sobreviventes ao Holocausto. Foi a partir dos estudos com estes jovens que Feuerstein e seus colaboradores desenvolveram um sistema de Avaliação Dinâmica do Potencial de Aprendizagem (LPAD) e um método de intervenção cognitiva, o Programa de Enriquecimento Instrumental (PEI).

De 1950 a 1955, Feuerstein estudou na Universidade de Genebra, sob o comando de Andrey Rey e Jean Piaget, completando a sua formação em Psicologia Geral e Clínica. Obteve o seu PhD em Psicologia do Desenvolvimento na Sorbonne, em 1970.
Mais informações: www.icelp.org

Áreas de Aplicação do PEI

Área educacional - para alunos do ensino regular, de sala de recursos, superdotados e na educação de adultos.
Área clínica – com todos os indivíduos a partir de 8 anos que necessitem de uma abordagem cognitiva para superar suas dificuldades de aprendizagem e/ou de comportamento.
Área empresarial – em programas de treinamento das habilidades de pensamento e de aprendizagem e na promoção da produtividade.
Área institucional e social – como uma ferramenta adicional para ajudar indivíduos que necessitam socializar-se, praticar atividades intelectuais, recuperar a auto-estima e melhorar suas capacidades cognitivas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atividades para Coordenação Motora Fina

Rastreamento é uma técnica simples para ajudar as crianças na coordenação motora fina. A técnica trabalha as habilidades motoras finas como a coordenação olho-mão e o início escrita.

A técnica é bastante simples. Você deve dar a cada criança pelo menos três cores diferentes de lápis de cor para formas, números e letras de forma para realização da técnica de rastreamento.


Técnica rastreamento da primeira letra do nome do aluno com ajuda do pontilhado.
As crianças começam por traçar com o dedo
Em seguida, as crianças usam uma cor de lápis e traçar os contornos. Em seguida, as crianças usam a segunda cor para rastreá-lo novamente. Em seguida, eles usam a cor de terceiros para traçar os contornos mais uma vez. -Separar objetos pequenos por cores.trabalhar o movimento pinça fina com o dedo indicador e polegar
- objetos pequenos para trabalhar movimentos finos.Treinar os números e associar a quantidade.

- Trabalhar os movimentos finos como alinhavo,tecelagem (com a tela talagarça) ou uma cesta co…
Encaixe dos palitos de Picolé no pote com um furo




Alinhavo de canudinhos, miçangas ou macarrão




Jogo de Mosaico -peças pequenas de legos











Ferramentas para pintura - esponjas de formas diferentes e pincéis.
O ATO DE ESCREVER A MÃO É UM EXERCÍCIO PARA O CÉREBRO
A tecnologia está cada vez mais presente em nosso cotidiano. A maioria de nossos textos são produzidos via teclado, isso é bom ou é ruim? No Brasil já existem escolas que disponibilizam laptops aos alunos; mas, de acordo com a neurocientista Karin Harman...
Na metade do ano de 2011 alguns jornais anunciavam o fim da escrita cursiva na maioria das escolas dos EUA. Entretanto no início do ano (2012) a neurocientista Karin James Harman apresentou um projeto no sentido de conscientização de qual o papel da escrita no processo de aprendizagem.
Apesar de grande debate, Harman testemunhou a favor da inclusão da escrita cursiva nos currículos de todas as escolas públicas. Para a realização da pesquisa, as crianças escreviam cartas à mão e depois submetiam-se a uma ressonância magnética. Nestas, a atividade neural no cérebro mostrava-se mais avançada do que aquelas que digitavam no teclado. “A caligrafia envolve circuitos cerebrais diferentes …